Sistema Linfático

 Em drenagem linfatica, Osteopatia, Saúde, sistema linfatico

De todos os sistemas do corpo, o sistema linfático é, sem dúvida, o menos conhecido. A capacidade contrátil do sistema linfático é influenciado por fatores como: contração muscular, pulsação arterial e respiração.

Para percebermos como funciona o sistema linfático, temos de perceber que a pressão do sangue não é igual ao longo do seu percurso, tem alta pressão na rede arterial, quando é bombeada pelo coração em direção ao corpo e baixa pressão na rede venosa, quando faz o retorno do corpo em direção ao coração. Enquanto a pressão nos tecidos ao longo do corpo se mantém uniforme.

Assim numa fase inicial de alta pressão o plasma sanguíneo é expelido para os tecidos pela alta pressão no interior dos vasos sanguineos. Mas como a pressão cai para cerca de metade á medida que o sangue retorna ao coração , enquanto a pressão nos tecidos se mantém constante, temos uma reabsorção dos fluidos. Assim 90% dos fluidos que saiem do sistema arterio venoso são reabsorvidos desta forma. É aqui que entra o sistema linfático que vai reabsorver os 10% que restam, e que corresponde a uma media de 3 litros por dia.
Torna-se assim um sistema vital que absorve proteínas, bactérias, células cancerígenas, “lixo metabólico”..sendo de referir que tudo o que entra na rede linfática passa a denominar-se linfa.

Sistema Linfático:sistema de baixa pressão

O sistema linfático como é um sistema de baixa pressão, lento, os seus vasos tem capacidade de contração. Assim, quando dilata a pressão exterior faz o fluido no espaço intersticial ( nos tecidos corporais) entrar nos capilares linfáticos. Quando contrai as suas paredes agem como uma válvula, fazendo a linfa avançar no sistema linfático inpedindo o seu retrocesso.
A capacidade contrátil do sistema linfático é uma das suas principais características, que é influenciado por vários fatores como: contração muscular, pulsação arterial e respiração.

O percurso da linfa nos canais linfáticos começa nos capilares, onde é feita a absorção dos fluidos corporais, que transportam a linfa para os vasos linfáticos já de maior calibre, sendo depois a linfa encaminhada para os gânglios linfáticos, que são uma rede de fibras de colagenio, cheias de glóbulos brancos (linfócitos e macrófagos). Linfócitos que são responsáveis por detetar a presença de antígenos (virus, bactérias, fungos..) no fluido linfático, produzindo anticorpos. Os macrófagos vão fagocitar (comer) o material antígeno.
Assim os gânglios funcionam como um “filtro de óleo” no corpo, filtrando a linfa e servindo de habitat aos linfócitos e macrófagos, sendo um dos mecanismos de defesa vitais do organismo.
Gânglios que têm tendência de se encontrarem em “clusters” ou aglomerados, principalmente na:
base da cabeça; parte antero lateral da cervical, ao longo da veia jugular; na traqueia; na região das axilas; na região abdominal, ao longo da artéria aorta abdominal; no mesenterio, ou na região intestinal. na região inguinal, ao longo do ligamento inguinal; na região femoral, ao longo da veia femoral.

A importância da região cervical, axilar e inguinal

Assumem aqui especial importância a região cervical, axilar e inguinal pois são as cadeias ganglionares mais superficiais e assim de mais fácil acesso numa inspeção médica.
A linfa é então encaminhada para os troncos linfáticos e daqui para os ductos linfáticos que vão devolver a linfa através veias subclávias ( junto às clavículas) de volta á circulação arterio venosa.

Ao referir ductos linfáticos, existem dois ductos:
Ducto torácico direito: de menor calibre e mais curto que drena a linfa do braço e peito direito e da parte direita da cabeça e pescoço.
Ducto torácico esquerdo: de maior calibre e de maior dimensão que drena todo o resto do corpo.
O intestino delgado é composto por vilosidades ou dobras, onde se encontram capilares linfáticos que vão absorver a gordura que ingerimos e drenar esta linfa de aspeto leitoso através dos canais linfáticos, até á cisterna de kilo, que se encontra ao nível da primeira vértebra lombar, inferior ao diafragma.
Cisterna de Kilo: que não é mais do que uma área especialmente alargada, que funciona como um reservatório, onde deságuam vários capilares linfáticos provenientes das pernas, abdómen e claro das vilosidades do intestino delgado.Começamos a perceber que o sistema linfático se estende por todas as áreas corporais, mas temos de perceber que os pulmões também precisam de um sistema de drenagem, para não haver edema pulmonar condição que põe em risco a vida.
Assim nos pulmões também vai haver parte do plasma sanguíneo que não vai ser reabsorvido pelo sistema venoso, permanecendo no tecido pulmonar.
Vai então ser absorvido pelos capilares linfáticos pulmonares vai passar nos gânglios linfáticos pulmonares e daqui retoma a circulação venosa.
Não podemos falar em sistema linfático sem falar em EDEMA, situação anormal em que existe demasiado líquido intersticial (nos tecidos) aumentando assim a pressão.

E que pode ser provocado por quatro fatores:
Aumento da pressão sanguinea, fazendo com que a pressão no interior dos vasos sanguíneos seja sempre superior á pressão nos tecidos, o que dificulta ou impossibilita a reabsorção dos fluidos. Este problema pode ser local, quando existe incompetência das válvulas nas veias, que aumenta a pressão sanguínea no local afetado. Ou sistémico, como é o exemplo típico de problemas cardíacos. Redução de proteinas no plasma,  são as proteínas, principalmente a ALBUMINA que dão a característica osmotica ao plasma.

Se houver défice de proteínas no plasma ele perde esta característica, ou seja, deixa de ser capaz de reabsorver os fluidos dos tecidos corporais. É o típico caso das “barrigas inchadas” das crianças subnutridas. E que por norma acontece por alimentação insuficiente em qualidade ou quantidade. Má absorção das proteínas devido a problemas no trato intestinal. Devido aos rins estarem a excretar proteínas na urina ou devido a insuficiência funcional do fígado.

Obstrução ou insuficiência do Sistema Linfático

A obstrução ou insuficiência do Sistema Linfático,  provoca que os fluidos onde se incluem as proteínas não sejam recolhidos de forma efetiva o que vai originar edema. E que pode acontecer devido aos mais variados fatores desde a falta de movimento, devido à presença de um parasita ou tumor. Aumento da permeabilidade capilar,  por situações inflamatórias.
Pois as situações inflamatórias aumentam o diâmetro dos espaços nos capilares sanguíneos, ao mesmo tempo que as células contraem diminuindo o seu diâmetro, ou seja temos células que estão mais “pequenas” a passar por espaços que estão “maiores”. O que vai provocar edema.

Assim as FUNÇÕES BÁSICAS do sistema linfático são:
Drenagem, como acabámos de ler. E proteção imunológica, através dos linfócitos e macrófagos, que estão presentes em vários dos órgãos que fazem parte do sistema linfático

Se precisar realizar uma DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL, marque uma visita na nossa clínica! Para marcações de consultas, dúvidas e outras questões, ligue 914 441 371.

Call Now ButtonAgende uma consulta Lei de WolfSensação de "estalo" ou de "ressalto" na anca