O que é, e o que pode fazer por si

Osteopatia

Osteopatia

Osteopatia

A Ciência da Manipulação Corporal.

Princípios da Osteopatia

A osteopatia tem como base o pressuposto de que todos os sistemas do corpo estão relacionados: qualquer disfunção num determinado sistema afeta todos os outros.

A filosofia da prática osteopática assume que o corpo tem toda a capacidade de se curar sozinho, desde que todas as suas estruturas estejam equilibradas.

Os benefícios desta terapia manual para a saúde são muitos. Conheça as técnicas osteopáticas que os especialistas mais usam e os principais problemas e doenças que procuram tratar.

A Osteopatia

A osteopatia surgiu nos EUA, por Andrew Taylor Still (1828 – 1917). É um sistema de avaliação e tratamento, com metodologia e filosofia própria, que visa restabelecer a função das estruturas e sistemas corporais, agindo através da intervenção manual sobre todos os tecidos (articulações, músculos, fáscias, ligamentos, cápsulas, orgãos, tecido nervoso, vascular e linfático).

Como os seus princípios não se baseiam no conhecimento da medicina moderna ocidental, é tida como um tipo de medicina alternativa.
Existem quatro grandes princípios que sustentam a osteopatia:

  • A estrutura do corpo humano – ossos, músculos, órgãos, etc. – encontra-se reciprocamente interligada com a função dos diversos sistemas do organismo. O sistema neurológico-músculo-esqueleto é responsável por regular todos os outros sistemas do nosso corpo. As alterações no corpo podem não apenas ser uma manifestação de doença, como também um factor que contribui para o surgimento da própria doença.
  • O organismo tem a capacidade de se autorregular e curar, assim que eliminar os obstáculos que provocam a doença.
  • O sangue é o responsável pelo transporte de todos os nutrientes necessários ao funcionamento adequado dos tecidos. Assim, uma boa circulação é imprescindível para que haja um bom funcionamento do organismo.
  • O corpo é uma unidade em movimento. O fluxo nervoso, vascular e linfático é de importância vital para manter uma boa saúde.

A Osteopatia é fundamentada no exame clínico, através da anatomia, fisiologia e semiologia.
As manipulações osteopáticas são um instrumento ao serviço dos Osteopatas. Porém, a Osteopatia é bem mais do que isso, indo além do diagnóstico e terapêutica, fazendo efetivamente a ligação entre essas observações e a patologia funcional apresentada pelo paciente.

A intervenção – manipulações

A manipulação vertebral é comumente utilizada por Osteopatas para o tratamento de diversas disfunções do sistema musculoesquelético, principalmente nos casos de restrição dos movimentos articulares acessórios que causam dor ou restrição do movimento fisiológico normal, possibilitando através de um tratamento conservador a eliminação de queixas álgicas de origem vertebral e periférica.

O tratamento osteopático é puramente manual, com grande eficácia e terapêutica conservadora, sem utilização de medicação e/ou cirurgia.
A Osteopatia foca-se no paciente, e não na doença, para tratar as disfunções musculares, ósseas e articulares.

A validade da osteopatia é tão concreta que é recomendada e incentivada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como prática de saúde. De acordo com Andrew Still, o corpo humano é um sistema capaz de se auto-regenerar, sendo o dever do osteopata eliminar os fatores que o impedem de funcionar de forma saudável. Assim, a osteopatia assenta numa visão holística da anatomia humana.

Uma abordagem que integra a mente e o corpo, sendo que este acaba por curar-se a si mesmo, desde que a sua mecânica interna esteja saudável.

O que pode tratar?

O campo de tratamento da osteopatia é muito amplo, pois abrange todo o corpo humano. Esta ciência trata doenças mais frequentes, tais como ciáticas, lombalgias, dorsalgias, cervicalgias, escolioses, hérnias discais e torcicolos. Aplica-se também em entorses, tendinites, epicondilites, síndromes do túnel cárpico, dores nos ombros, problemas da articulação temporo-mandibular (ATM) e tensões e contraturas musculares.

A lista abrange ainda muito dos problemas decorrentes de acidentes de viação, quedas, fraturas ou cirurgias. A osteopatia pode ajudar a resolver também enxaquecas, dores de cabeça, problemas digestivos, insónias, depressão, vertigens, labirintites, sinusites, glaucoma, tensão pré-menstrual, obstipação, stresse e problemas respiratórios. O osteopata não elimina apenas as consequências do problema, mas sim determina e ataca a origem.

Durante as consultas, procuramos sempre desvendar a origem do sintoma para poder curar o paciente. Utilizando as mãos como instrumento.

A quem se destina a osteopatia?

A osteopatia pode ser aplicada a toda a gente, desde o recém-nascido até ao sénior, passando por grávidas e atletas de alta competição.

Para mais informações, esclarecimentos e marcação de consultas:

914 441 371

info@ricardoalmeidaosteopata.pt